A 5G só deverá deslanchar no Brasil em 2030. Esta é a previsão de Alberto Paradisi, vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento do CpQD, que participou, hoje, 21, de audiência pública no Senado Federal.

“Para ele, não basta que o padrão esteja prometido, no mundo, para 2020, pois para a tecnologia ser massificada, é necessário capital e modelo de negócios. “A 4G foi lançada há 10 anos, e no Brasil ela ainda não ultrapassou 40% da base existente”, lembrou.

Para o diretor do SindiTelebrasil, Carlos Duprat, no cenário atual, a IoT (Internet das Coisas) está comprometida, visto que há uma forte tributação sobre o chip. O executivo sugeriu ainda que fosse abolido o ICMS dos serviços de telecomunicações para os integrantes do Cadastro Único do governo.

Demi Getschiko, do Nic.Br, por sua vez, disse que a discussão da Inteligência Artificial (IA) deve se dar sobre os princípios da ética, e não mais da privacidade. “A IA vai decidir se estou doente ou não, se terei direito a crédito ou não. Essa questão tem que ser abordada pela ética, para preservar as responsabilidades e sobreviverem os humanos”, vaticinou.

FONTE: Telesintese